PLAYER RÁDIO TREM

sexta-feira, 3 de janeiro de 2020

RÁDIO TREM SÃO PAULO (web)


                                                http://www.casaderepousocoracaojesus.com.br/

https://www.facebook.com/Biskui-Car-410181016180839/

                                                            faleradiotrem@gmail.com



                                                 https://maxcast.com.br/programetes/

                                               CURTA A RÁDIO TREM NO FACEBOOK!


Sim, é possível viajar de trem pelo Brasil! Veja roteiros.

Passageiros espiam a imensidão lá de fora (Fernando Martinho/Viagem e Turismo)
Percorremos cinco ferrovias para passageiros no Brasil. Foi uma viagem por uma profusão de histórias, rostos, paisagens. Foi Brasil na veia

Trem de longa distância, trem diário, trem de fim de semana. Trem que passa por estradas de ferro centenárias, serpenteia a Serra do Mar, corre por planícies pantaneiras, contorna pedaços raros de Mata Atlântica nativa. Tem trem pra todo mundo – e não estamos falando de Europa.

Ainda que a malha ferroviária brasileira não seja lá para inglês ver, temos quase 30 000 quilômetros de trilhos e estações que servem de cenário para novelas de época. Pois a Viagem e Turismo decidiu fazer um trem divertido: percorrer este Brasilzão através de suas ferrovias.

Escolhemos cinco trechos e passamos por quase todas as regiões do país. Foram 1.689 quilômetros dentro de marias-fumaças, litorinas e locomotivas diesel-elétricas. A epopeia, que começou em Minas Gerais, na estação imperial de São João Del Rei, só terminou 12 dias depois...

... LEIA NA INTEGRA, CLICANDO ABAIXO, NO LINK DA MATÉRIA;

JANEIRO 2020 – FONTE/MATÉRIA; VIAGEM E TURISMO - ABRIL.

Por Laura Capanema; Set 2019, 15h35 - Publicado em 9 abr 2015, 18h01




segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

FELIZ NATAL E PRÓSPERO 2020!


O Projeto Rádio Trem, agradece a você que neste 2019, nos prestigiou com a sua companhia. 

Desejamos um Feliz Natal e Próspero 2020!... Saúde e paz!...  Um grande abraço a todos!...

Projeto Rádio Trem - radiotrem.com

NATAL NOS TRILHOS - EXPRESSO PAULISTA 2019!


NATAL NOS TRILHOS - EXPRESSO PAULISTA 2019! 

Agora sim, a programação oficial do Natal nos Trilhos - Expresso Paulista está pronta!
Serão 6 noites consecutivas, entre o dia 16/12 e 21/12 com o expresso partindo de São José do Rio Preto e tendo como destino final Jundiaí!
Dividido em segmentos, o percurso será:
- Dia 16/12: de São José do Rio Preto a Santa Adélia;
- Dia 17/12: de Santa Adélia a Matão;
- Dia 18/12: de Matão a Araraquara;
- Dia 19/12: de Araraquara a Rio Claro;
- Dia 20/12: de Rio Claro a Campinas;
- Dia 21/12: de Campinas a Jundiaí.
Venham com toda a família prestigiar a passagem do Expresso Paulista com o bom velhinho a bordo!
E lembrem-se: segurança em primeiro lugar: mantenha sempre uma distância segura dos trilhos!
* os horários de partida do trem em cada dia são os previstos; atrasos podem acontecer devido a movimentação dos trens de carga; Toda e qualquer previsão de chegada aos municípios ao longo dos trajetos que for divulgada é mera especulação; o trem segue conforme disponibilidade da linha sendo impossível definir horários com precisão.
** não existe venda de bilhetes, a composição apenas faz um desfile pela ferrovia.
*** Devido ao grande público, não são previstas paradas ou visitação a composição durante o desfile.


O Projeto Rádio Trem, compartilha essa divulgação, em forma de apoio!

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Retirada de trilhos nos anos 80 foi um erro, diz dirigente de entidade do setor.


(Imagem divulgação - matéria Revista Ferroviária)

Embora seja comum até hoje encontrarmos trilhos sem utilização em cidades do interior de São Paulo, foram feitos movimentos fortes dos governos principalmente nas décadas de 1980 e 1990 para a retirada deles.

Foram períodos em que rodovias eram duplicadas e, em situação antagônica, os trens agonizavam e deixavam de transportar primeiro passageiros e, depois, cargas. Analisemos um pequeno trecho ferroviário, entre Ribeirão Preto e Franca. A retirada dos trilhos entre as duas importantes cidades do interior paulista não prejudicou só o transporte, já que fez também com que parte das estações no caminho perdessem utilidade.

Dos 119,5 quilômetros de trilhos entre a principal estação de Ribeirão e a maior de Franca, ao menos 95,6 quilômetros não existem mais. Na estação Alto, ainda em Ribeirão, os trilhos deixaram de existir na segunda metade dos anos 1980, mas a estação já não tinha operações ferroviárias desde a década anterior. Das 12 estações entre as cidades, 4 estão abandonadas e 1 foi demolida.

As outras 7 têm usos variados, normalmente ligados à cultura -como museu, centro cultural ou biblioteca. Entre elas estão Brodowski, Visconde de Parnaíba, Batatais e Boa Sorte.Mas, se os trilhos ainda existissem, a retomada do transporte de passageiros no interior poderia ocorrer com mais facilidade, segundo Joubert Fortes Flores Filho, presidente da ANPTrilhos (Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos).

"Foi uma decisão equivocada a retirada dos trilhos e de trens [nos anos 80]. Moro no Rio, mas nasci em Minas. Quando era menino e ia sempre para Minas com meus pais, pegava trem na estação Leopoldina, prédio histórico lindo e completamente abandonado aqui. Íamos de noite. Tinha cabine dormitório, adorava, e chegava de manhã em Minas. Hoje faz o trajeto em cinco horas. Isso foi fruto da implantação da indústria automobilística, criou o rodoviarismo", afirmou.

TRECHOS INADEQUADOS

O trecho rodoviário entre Ribeirão e Franca tem 89 quilômetros, mais curto que os 119,5 quilômetros da época das ferrovias. O motivo é simples: como a Companhia Mogiana de Estradas de Ferro -que administrava a linha férrea que passava pelas cidades- tinha como interesse básico atender aos cafeicultores, seus principais clientes, o traçado da ferrovia era muito sinuoso, de forma a passar nas lavouras para o embarque da produção, rumo ao porto de Santos. Muitos trechos foram retificados ao longo das décadas para corrigir essa sinuosidade.

Mas há curvas inadequadas, rampas acentuadas, baixas velocidades e composições que cortam a zona urbana de importantes cidades paulistas até hoje.

"Achou-se que podia fazer tudo pela rodovia. EUA, França e Japão têm ótimas rodovias, mas também ótimos sistemas ferroviários. Usam ferrovia e rodovia capilarmente. Aqui, erradicaram os trens. Muitas cidades do Sudeste dependiam do trem. Hoje somos os maiores produtores de soja do mundo, mas quanto custa? Faz a viagem de caminhão, dá vontade rir, para não chorar. Por que fizemos isso?", questionou o presidente da associação.

De acordo com ele, pode ser mais barato implantar BRTs (ônibus que rodam em vias segregadas e contam com características como ultrapassagem nas estações, embarque em nível e pré-pagamento da tarifa) que metrôs ou VLTs (Veículos Leves sobre Trilhos), mas esse sistema não permite o transporte em massa de passageiros. 

"É mais barato colocar BRT num corredor em vez de metrô ou VLT?
Às vezes até é, mas é igual à história da soja. Quantas pessoas precisa carregar por hora? Quarenta mil, 50 mil, como o corredor da linha 2 do Rio. Não adianta botar ônibus, metrô transporta num carro 300 pessoas. Um de seis carros dá quase 2.000 pessoas, enquanto num ônibus são 70 pessoas, 40 em pé e 30 sentadas. É incomparável", disse.

Fonte: https://sobretrilhos.blogfolha.uol.com.br/2019/11/19/re...


NOVEMBRO/2019 – REVISTA FERROVIÁRIA.

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Operação Especial CPTM – GP Fórmula 1 começa na sexta-feira de feriado.

A Companhia terá intervalo reduzido e composições extras, além do reforço especial nas equipes da Linha 9 e em estações estratégicas
como Luz e Aeroporto-Guarulhos.
A CPTM terá esquema especial de operação na Linha 9-Esmeralda (Osasco – Grajaú) para facilitar o acesso ao Autódromo de Interlagos neste domingo (17/11), onde ocorre o Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1. 

Das 15h30 às 18h, os trens circularão com intervalos de 5 minutos entre as estações Pinheiros e Grajaú e de 10 minutos entre Osasco e Pinheiros. Nos demais horários de domingo, o intervalo será de 10 minutos em toda a linha.

Entre os dias 15 e 17, haverá composições extras disponíveis caso haja aumento de demanda. Na sexta, que é feriado, os intervalos serão de 10 minutos em toda a linha. Já no sábado, das 6h às 18h, será de 7 minutos e, nos demais horários, de 10 minutos.

Também haverá reforço especial nas equipes da Linha 9-Esmeralda e em estações estratégicas como Luz e Aeroporto-Guarulhos.

* Compra antecipada de bilhetes;

A Estação Autódromo fica a 800 metros do portão de acesso ao Setor G do Autódromo de Interlagos. Além dos orientadores bilíngues, a estação contará com placas e avisos sonoros com informação em inglês e português.

Para agilizar o embarque após o final do GP, a CPTM recomenda aos usuários a aquisição antecipada dos bilhetes, preferencialmente com dinheiro trocado. A compra das passagens nas bilheteiras pode ser feita normalmente nos horários de funcionamento de todas as estações.

A média de embarques em um sábado normal, na Estação Autódromo, é de cerca de 4,5 mil passageiros e aos domingos, de 3 mil. No fim de semana da realização da Fórmula I, a movimentação na estação gira em torno de 13 mil pessoas, tanto no sábado, quanto no domingo.

* Serviço:

Operação Especial CPTM – GP de Fórmula 1

Local: Linha 9-Esmeralda (Osasco – Grajaú)

Data: sexta-feira, 15/11

Intervalo: 10 minutos em toda a linha

Data: sábado, 16/11

Intervalo: das 6h às 18h – 7 minutos

Demais horários – 10 minutos

Data: domingo, 17/11

Intervalo: das 15h30 às 18h – 5 minutos entre as estações Pinheiros e Grajaú e de 10 minutos entre Osasco e Pinheiros
Demais horários – 10 minutos em toda a linha

NOVEMBRO/2019 – CPTM.

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Estrada de Ferro: Goiás Turismo e Ministério Público firmam parceria.

Estação de trem reformada em Pires do Rio. (Foto: Reprodução)
A Goiás Turismo e o Ministério Público de Goiás (MP-GO) firmaram uma parceria para o fortalecimento do projeto Estrada de Ferro, que criará uma rota turística pelos trilhos da região sudoeste de Goiás.
De acordo com o presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, o Ministério Público pode ajudar como um "parceiro de legitimidade". O presidente afirmou que as esferas estadual e federal do órgão aprovaram o projeto e se dispuseram a ajudar.

"Quando apresentamos o projeto, os promotores e procuradores ficaram encantados", disse Fabrício. "Tanto o Ministério Público de Goiás quanto o Federal incorporaram uma comissão que está trabalhando para o projeto, literalmente, entre nos trilhos".

A comissão, que também conta com a participação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), irá auxiliar nas várias frentes de atuação que trabalham na iniciativa. "Existem questões que os parceiros podem contribuir muito, como desapropriações, invasões, manutenção do trem, entre vários outros interesses", disse o presidente.

A Estrada de Ferro;

O projeto para construção de um trem turístico foi apresentado no final de janeiro deste ano. A ideia é incluir 14 municípios da região sudoeste do estado. Bonfinópolis, Catalão, Goiandira, Ipameri, Leopoldo de Bulhões, Orizona, Pires do Rio, Santa Cruz de Goiás, Silvânia, Urutaí, Vianópolis, Senador Canedo, Caldazinha e os povoados de Ponte Funda e Caraíba. Os municípios vão restaurar prédios históricos, além de instalar sinalização e placas informativas.

Fabrício afirmou que, além do turismo, outras áreas podem ser alavancadas com a iniciativa. "Em São Paulo temos mini-cidades em volta das estações que geram emprego e renda para a população local. São vários elementos de desenvolvimento que envolvem a estrada de ferro".

A meta é assinar o termo de compromisso ainda em 2019 para os trabalhos comecem no ano que vem. Um estudo de viabilidade econômica será entregue a todos os prefeitos dos municípios envolvidos. Além disso, o plano é reformar as últimas três estações que faltam para que o trem comece a rodar.

Fonte: https://www.emaisgoias.com.br/estrada-de-ferro-goias-tu...

NOVEMBRO/2019 – REVISTA FERROVIÁRIA.

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

ASSOCIAÇÃO DA EXTINTA SOROCABANA, EXIBE LOCOMOTIVA A DIESEL DE 1942 RESTAURADA!

(Locomotiva Whitcomb da Estrada de Ferro Sorocabana, fabricada em 1942)
Uma locomotiva fabricada nos EUA em 1942 foi restaurada e apresentada ao público pela Sorocabana - Movimento de Preservação Ferroviária.

A locomotiva, que pertenceu no passado à Estrada de Ferro Sorocabana, foi restaurada após 18 meses de trabalhos. Para que fosse possível, uma empresa fornecedora de componentes, rolamentos e sistemas de alta precisão patrocinou o projeto.

Ela está em condições de uso, de acordo com a associação, e será disponibilizada para o futuro Trem dos Operários, que percorrerá o trecho entre Sorocaba e Votorantim. Será um apoio operacional à maria-fumaça 58.

Enquanto isso não acontece, a associação disponibilizou a locomotiva para visitação, feita por meio de agendamento (mpfsorocabana@gmail.com).LOCOMOTIVAS

A maria-fumaça 58, fabricada em 1891, foi colocada nos trilhos em caráter experimental no ano passado, percorrendo trecho de um quilômetro. Quando o trem entre Sorocaba e Votorantim estiver em operação, fará um trajeto de sete quilômetros.

O trem tem como objetivo resgatar a antiga Estrada de Ferro Sorocabana, que teve sua primeira linha inaugurada em 1875.

Além de colocar a locomotiva em operação, a Oscip responsável pela preservação recuperou um vagão construído em 1951 nos EUA, que estava em péssimo estado.

Fonte: https://sobretrilhos.blogfolha.uol.com.br/2019/11/10/as...

NOVEMBRO/2019 – REVISTA FERROVIÁRIA.



quinta-feira, 7 de novembro de 2019

domingo, 27 de outubro de 2019

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

1º ENCONTRO DE FERREOMODELISMO DE ÁGUAS DA PRATA!


1º Encontro de Ferromodelismo de Águas da Prata chegando!
Anote essa data em sua agenda e não perca!
16 e 17 de Novembro na estação ferroviária da cidade de Águas da Prata-SP. 
(Dia 16 das 09h00 às 18:00 e dia 17 das 09:00 às 16:00)
* Clique aqui para maiores Informações!

O Projeto Rádio Trem, compartilha, em forma de apoio!

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

23 E 24 DE NOVEMBRO, NO MUSEU DO TREM - RECIFE!


- Por Estação Central Capiba / Museu do Trem;
 Vem aí, a 3ª Exposição de Ferromodelismo do Museu do Trem!
"Nos dias 23 e 24 de novembro o Museu do Trem realizará a sua 3ª Exposição de Ferromodelismo. Trazendo maquetes que retratam com fidelidade cenas reais de trechos ferroviários e dezenas de miniaturas de locomotivas, carros e vagões, a exposição também contará com oficina para reparo gratuito de modelos e com maquete que poderá ser operada pelos visitantes. Então, anote na sua agenda e não deixe de embarcar nessa aventura!"

O Projeto Rádio Trem, compartilha, em forma de apoio.
Saudações Ferroviárias!


segunda-feira, 7 de outubro de 2019

Linha turística de bonde em Santos ganha veículo japonês.

(Bonde Japonês, restaurado em Santos - SP. Acervo Revista Ferroviária)
- Via Revista Ferroviária;

A linha turística de bondes de Santos ganhou um reforço de peso. O décimo terceiro integrante do Museu Vivo de Bondes veio de Nagazaki, no Japão. No último sábado (5), após três anos de restauro, o bonde 206 foi entregue aos santistas, durante o 1º Festival do Imigrante de Santos, no Valongo.

Inaugurado originalmente em 1953, o veículo foi fundamental para o desenvolvimento da mobilidade urbana da cidade japonesa após a bomba atômica, na Segunda Guerra Mundial.O processo de doação do bonde teve início em 2012, quando se completou 40 anos do acordo de geminação dos dois municípios. A chegada a Santos não foi simples. Foram necessários 42 dias de viagem até chegar ao Porto de Santos, em 2016.

"Vai ajudar a contribuir no desenvolvimento do centro da nossa cidade, trazer mais turistas, gerar mais empregos. Nós vamos fazer parcerias para otimizar o uso desse bonde", comentou o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, durante solenidade no Valongo, ontem de manhã.Com essa adição, Santos passa a contar com bondes de seis países: Portugal, Itália, Espanha, Reino Unido, Grécia e Japão. 

"É uma cidade que recebe gente do mundo inteiro. E foram justamente essas pessoas, essas comunidades que ajudaram a construir a cidade que nós temos hoje. A comunidade japonesa tem um grande papel na nossa cidade", disse o prefeito.

O bonde japonês manteve todas as características originais. Com capacidade para 28 pessoas sentadas, o equipamento manterá a identificação original do prefixo 206. Dentro dele, o público terá acesso ao histórico do veículo, além de detalhes sobre a doação de Nagazaki.

Programação

Além da entrega do bonde japonês, o público assistiu apresentações de Dança de Dragão e do grupo de taikô (tambores) Kyowa. O evento seguiu com intervenções artísticas de países africanos, árabes, além da Itália e França.

Nesse domingo (6), a programação inclui apresentações artísticas da Alemanha (12h), Grécia (13h), Espanha (14h), Reino Unido (15h) e Portugal (16h). Uma praça de alimentação na área externa do Santuário do Valongo oferece pratos típicos desses países.
O encerramento será às 19h com o show Tributo ao Queen, com a Banda Kings of the Queen.

Fonte: https://www.atribuna.com.br/cidades/linha-tur%C3%ADstic...

OUTUBRO/2019 – REVISTA FERROVIÁRIA.

SÁBADO (12/10/2019) NA HISTÓRICA ESTAÇÃO DE LOUVEIRA - SP!


* Informação na Página Cada Vez Mais Louveira

O Projeto Rádio Trem, compartilha graciosamente essa divulgação, em forma de apoio.

terça-feira, 10 de setembro de 2019

DOS TEMPOS DA SAUDOSA # FEPASA!...

Dos bons tempos da extinta FEPASA - Ferrovia Paulista Sociedade Anônma e seus Trens de Passageiros de Longo Percurso, que operavam diariamente entre a capital e cidades do interior.


Trem de Passageiros de Longo Percurso da extinta FEPASA, na Ponte da Via Anhanguera, na década de noventa.
(Imagem de Vanderlei Antonio Zago. Direitos do mesmo)
- Por Vanderlei Antonio Zago;

"Trem de passageiros na ponte da Via Anhanguera em Campinas, seguindo sentido Interior, na década de 90. Bons tempos!!!"

A estatal paulista FEPASA, foi liquidada e ou entregue a União, nos idos de 1998. Época em que os Trens de Passageiros Regionais e de Longo Percurso do estado de São Paulo, foram desativados.

Esta imagem nos remete aos bons tempos da, se não excelente, mas seguramente "funcional" Ferrovia Paulista S/A. 

Projeto Rádio Trem, Recordando os Bons Tempos!

sábado, 7 de setembro de 2019

MEMÓRIA DOS BONDES PAULISTANOS!

Antigos Bondes (Acervo Revista Ferroviária)
Prefeitura encontra trilhos de bonde sob a Avenida São João

O Vale do Anhangabaú, no centro, passa por uma reforma com previsão de ficar pronta no ano que vem. as obras foram suspensas brevemente em agosto por um pedido da Justiça após queixas sobre a falta de debate público, mas logo acabaram retomadas - a discussão ainda segue nos tribunais. Durante as escavações, a prefeitura encontrou um caminho de vigas de ferro que serviu de passagem para bondes que trafegaram por décadas na região mais movimentada da metrópole. Situações semelhantes ocorreram em outros trabalhos de engenharia viária, como a requalificação do Largo da Batata, em Pinheiros, e a construção da Linha 5-Lilás do metrô, na avenida Adolfo Pinheiro. após a recente descoberta, a gestão do prefeito Bruno Covas determinou que os trilhos da avenida São João fossem removidos - só uma pequena amostra será mantida para compor o acervo arqueológico do local. Tudo é acompanhado de perto pelo Departamento do Patrimônio Histórico (DPH).

O primeiro bonde da cidade circulou em 1872 e fez o trajeto entre a rua do Carmo, na Sé, e a estação da Luz, então um entreposto comercial que ligava o interior do estado ao litoral. Na época, os veículos eram puxados por animais. Os primeiros modelos elétricos surgiram em 1900, quando a São Paulo Tramway, Light & Power Company, conhecida como Light, passou a ser a responsável por esse meio de transporte, o mais rápido e moderno do período. ao todo, São Paulo chegou a ter 700 quilômetros de trilhos de bonde, sete vezes mais que a atual malha do metrô, de 96 quilômetros.

O reinado da Light durou até 1947. Nesse ano, a gestão dos veículos ficou sob a responsabilidade da então recém-criada Companhia Municipal de Transportes Coletivos (CMTC). a degringolada desse tipo de condução teve como epílogo o ano de 1968. O veículo a diesel prometia ir mais longe, chegar mais rápido e não causar transtornos como descarrilamentos e panes elétricas. em 27 de março daquele ano, a viagem final, entre a Vila Mariana e Santo Amaro, terminou com uma recepção de milhares de pessoas.

Fonte: https://vejasp.abril.com.br/blog/memoria/trilhos-bondes...

SETEMBRO/2019 – Matéria da Revista Ferroviária

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

A SERRA DO MAR (PARANAPIACABA), O OBSTÁCULO NATURAL, VENCIDO PELOS TRENS!



* SOLENIDADE DE INAUGURAÇÃO DO SISTEMA CREMALHEIRA ADERÊNCIA, EM 1974.

A São Paulo Railway Company (1º Ferrovia do Estado de São Paulo), foi inaugurada em 1867, ligando o Porto de Santos, a Cidade de São Paulo e a Cidade de Jundiaí.

Na época de sua construção, o objetivo principal era o de escoar a produção de cultivo do café, das fazendas do interior do estado, para as exportações no porto. E o maior obstáculo natural a ser vencido pelos Trens, sempre foi o trecho ferroviário da Serra do Mar, entre o Alto da Serra (Paranapiacaba) e Raiz da Serra (Piaçaguera / Cubatão).

Primeiro os Ingleses, que construíram a Ferrovia, implantaram um Sistema de Cabos de Aço, denominado (Funicular), por onde, por meio de cabos que trabalhavam por sistema de roldanas e contrapeso entre Trens, as composições subiam / desciam a serra, engatados a estes cabos, movimentados por Casas de Máquinas Fixas em Patamares, ao longo do trecho.

Machina Fixa no Alto da Serra, do Primeiro Sistema Funicular. Sistema esse com capacidade máxima de 60 Toneladas por Trem/viagem, entre os patamares da serra.
Passado um tempo, o 1º Sistema já não atendia a contento, a necessidade de transporte de cargas na serra, pela sua limitação (capacidade) de peso. E por volta de 1900, foi inaugurado um 2º Sistema Funicular, denominado Novos Planos Inclinados.

Máquina Fixa no Alto da Serra, do Segundo Sistema Funicular. Sistema esse com capacidade máxima de 120 Toneladas, posteriormente expandido para 200 Toneladas por Trem/viagem, entre os patamares da serra.
Este com maior capacidade de transporte de cargas (vagões) na serra e com cinco patamares.
(O 1º Sistema era formado por quatro patamares).





Em 1946 termina a concessão dos Ingleses e a São Paulo Railway foi devolvida a União, passando a se chamar Estrada de Ferro Santos a Jundiaí - EFSJ, que na década de 1950, passou a integrar a Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima - RFFSA.



Na década de 1970, a RFFSA havia contratado um projeto de uma empresa / consorcio do Japão e foi inaugurado o Sistema de Cremalheira por Aderência, no leito do 1º Sistema Funicular. Por onde passaram a correr Locomotivas de Tração Elétrica fabricadas pela Hitachi...


... por este "Sistema de Catracas" em baixo das Locomotivas e "Trilho Central Dentado" ao meio dos trilhos normais, oque aumentou a capacidade de cargas no trecho de serra. Sendo este sistema utilizado até hoje (2018), já com Novas Locomotivas Elétricas, de Fabricação Suíça.


"O 1º VÍDEO DOCUMENTÁRIO DA DÉCADA DE SETENTA, NO INÍCIO DESTA POSTAGEM, MOSTRA APENAS A SOLENIDADE DE INAUGURAÇÃO NA ESTAÇÃO DO ALTO DA SERRA (PARANAPIACABA) E A COMITIVA COM AUTORIDADES, EMBARCANDO NO TREM QUE NA SEQUÊNCIA, FARIA A DESCIDA PELO NOVO SISTEMA."

  "JÁ ESTE VÍDEO, MAIS RECENTE, MOSTRA DETALHES OPERACIONAIS DO SISTEMA."

(Imagens Capturadas do Google. Vídeos Capturados do Youtube. Créditos constam nos mesmos)

Projeto Rádio Trem, Resgatando Parcelas da História do Trem!


sábado, 17 de agosto de 2019

NOS TRILHOS COM BRILHANTINA, DOMINGO, 18 DE AGOSTO DE 2019!



Acontece neste Domingo (18/08/2019), à partir das 13h, mais uma edição do Nos Trilhos com Brilhantina, no espaço do Trem Cultural Maria Fumaça - Brás - Mooca, da ABPF - São Paulo!...

* Maiores detalhes, na página; https://www.facebook.com/Nostrilhoscombrilhantina/

Projeto Rádio Trem divulga este evento, em forma de apoio.

quarta-feira, 10 de julho de 2019

OS TRENS BLINDADOS DE 1932...

MEMÓRIA DO TREM... OS BLINDADOS DA REVOLUÇÃO DE 1932!


Nesse vídeo do canal do youtube Trem e História, Leandro Guidini explana sobre os Trens Blindados, utilizados na Revolução Constitucionalista de 1932






sexta-feira, 5 de julho de 2019

O TUE MAFERSA - 1700, DA LINHA SANTOS - JUNDIAÍ.

TUE`s (Trens Unidades Elétricos) MAFERSA Série - 1700 da CPTM, na Estação Luz, em São Paulo.
(Foto; Adriano Alexandrino)
 O MAFERSA 1700, DA LINHA SANTOS - JUNDIAÍ, VAI DEIXAR SAUDADES!... 

- Relato de Adriano Alexandrino, em sua postagem na Rede Social Facebook; 

" Depois de 30 anos é a vez dos trens série 1700 sair de cena.
Fabricados pela Marfesa com sistemas elétricos da Hitachi , foi a série com mais força de tração que existiu na CPTM até a chegada dos trens mais modernos.
De 2012 até 2017. Foram muitas viagens da luz até Jundiaí E de Jundiaí até a Luz. Com um som forte é um trem que vencia fácil a subida da linha 7. 
Fica aqui minha lembrança de uma das muitas viagens que fiz com esses trem fica devendo uma viagem de despedida como foi o companheiro 1100 e torço pela preservação dessa de uma das séries que deixa saudades. " 


Na última semana de Junho, deste 2019, as últimas composições dos Trens da Série 1700 da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), deixaram de circular na atual Linha 7 Rubi, por conta da aquisição de novas frotas de Trens Urbanos, pela referida estatal.

Tido como uma das MELHORES SÉRIES DE TRENS DA CPTM, os 1700, como eram chamados e classificados, foram fabricados pela extinta MAFERSA (Material Ferroviário S/A), na década de oitenta. Sendo entregues originalmente como Série 700, para a divisão Paulista da então CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos), a partir de 1987, para operação no trecho metropolitano da Estrada de Ferro Santos a Jundiaí, na Grande São Paulo.

TUEs MAFERSA Série 700 da então CBTU, em faces de produção fabril, na década de oitenta.
(Créditos da imagem, constam na mesma)
Estas composições sempre circularam, tanto entre a cidade de São Paulo (Estação Luz) e o trecho do ABC Paulista (São Caetano, Santo André, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra...), quanto entre a Luz, Francisco Morato e Jundiaí.

Composição de 08 Carros do Mafersa Série 700 da CBTU, de passagem pelo trecho da Barra Funda.
(Créditos da Imagem, constam na mesma.)
Na década de noventa, com a incorporação das linhas da divisão Paulista da CBTU, pelo GESP, através da então recém criada CPTM, a Série 700, passou a ser a Série 1700, continuando a operar na Santos a Jundiaí, nos últimos tempos exclusivamente na atual Linha 7 Rubi, atendendo aos passageiros do trecho de Pirituba, Caieiras, Franco da Rocha, Francisco Morato e Jundiaí.

Estes Trens sempre apresentaram bons índices operacionais, ao longo de sua vida útil. Passando no decorrer dos anos por algumas melhorias e modernizações, em seus sistemas eletromecânicos e pneumáticos.

Os 1700 poderiam rodar tranquilamente por mais tempo ainda, se passassem por uma revisão geral de seus componentes e recebessem a instalação do sistema de Ar Condicionado em seus carros, a exemplo do que ocorreu com Trens desta mesma série, que foram modernizados e continuaram em operação, no Sistema de Trens Urbanos do Rio de Janeiro...

Afinal é um Trem não tão velho ainda, considerando que a expectativa de vida útil do material rodante ferroviário, com a devida manutenção, é de (50) cinquenta anos.

... mas por conta da aquisição de novos Trens, a opção da Paulista CPTM, foi a desativação e baixa total dessa série.

TUE Hyundai Rotem - Série 9500, Início da Operação:2017. Origem:Coréia do Sul/Brasil.
Atualmente são esses Trens Coreanos Série 9500, que operam na Linha 7 Rubi, até F. Morato Jundiaí.
(Imagem da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos - CPTM) 
Os 1700 cumpriram bem o seu papel, deixando um legado positivo de uma época em que ainda se fabricavam "materiais duráveis", atestando a qualidade dos Trens produzidos pela nossa brasileira MAFERSA - Material Ferroviário Sociedade Anônima, extinta/liquidada na década de noventa.

TUE MAFERSA - Série 1700, de passagem pelo Túnel de Botujuru, na Linha Jundiaí, a Linha 7 Rubi da CPTM.
(Acervo do acervo de Denis Castro - Paparazzi Ferroviário)
Parabéns ao corpo de manutenção das oficinas da CBTU/CPTM, por manter a frota 1700, em boas condições operacionais, no tempo em que prestaram serviço a população paulista!

Anderson A. C. - Projeto Rádio Trem

Veja também;

* Matéria a respeito do Mafersa 700/1700 pelo Wikipédia.

* Matéria a respeito do Mafersa 700/1700 por Denis Castro (Paparazzi Ferroviário).

* Matéria a respeito do Mafersa 700/1700 por CPTM em Foco.


domingo, 30 de junho de 2019

TRÊS ANOS DE RÁDIO TREM!


* 30 DE JUNHO DE 2016;
   Era registrado do site do Projeto Rádio Trem ( www.radiotrem.com ).

* 30 DE JUNHO DE 2019;
   Três Anos do Projeto Rádio Trem!

Agradecemos a todos os nossos apoiadores, colaboradores e parceiros, por enaltecerem esse projeto!

Agradecemos principalmente a VOCÊ amigo ouvinte, pela sua companhia!

PROJETO RÁDIO TREM, RECORDANDO OS BONS TEMPOS DO TREM!

quinta-feira, 20 de junho de 2019

O Expresso Azul da extinta Fepasa em 1998 (HABIB)!



Belo registro do Trem EXPRESSO AZUL, da extinta FEPASA - Ferrovia Paulista S/A.

A estatal Fepasa, foi liquidada e ou entregue a União, nos idos de 1998. Época em que os últimos Trens de Passageiros que ainda estavam operacionais, entre a capital e cidades do Interior Paulista, foram desativados.

Nossos agradecimentos ao José Roberto Habib, por ter registrado essa viagem e por nos presentear, com o compartilhamento desse vídeo no Youtube;
Os que vivenciaram esses bons tempos, recordam e, os das novas gerações, terão a referência...

Parabéns!
Projeto Rádio Trem

- Por José Roberto Habib ;
Um Vídeo mais familiar, primeira vez que a Danielle, minha filha, com 2 anos, entrou em um trem de longo percurso. Cenas que nunca mais veremos. Trecho B.Funda - Jundiaí. Expresso Azul, este sim todos carros Inox. Maquinista Horácio Anselmo.


quarta-feira, 19 de junho de 2019

PASSEIO COM A BICILINHA - PINTANDO FUNDO DA PLACA - 15/06/2019



Um grande abraço ao nosso amigo Marcelo Braguini e aos demais amigos da Bicilinha que, mais que meramente passeios com a Bicilinha pelo trecho da antiga Companhia Paulista de Estradas de Ferro, posteriormente Fepasa, na Região de Lucélia, resgatam e preservam a sua memória!...

Saudações Ferroviárias!
Anderson - Projeto Rádio Trem ( http://radiotrem.com/ )

terça-feira, 18 de junho de 2019

EM NOVEMBRO... EM SUMARÉ - SP. NÃO PERCAM!...

1º MOSTRA DE FERREOMODELISMO DE SUMARÉ - SP!


DIA 09/11/2019  DAS 09h ÀS 17h.

Parque Villa Flora - Praça da Fazenda, Sumaré - SP

O Projeto Rádio Trem apoia em foma de divulgação!

domingo, 16 de junho de 2019

RESQUÍCIOS DOS ÁUREOS TEMPOS DA FERROVIA!

 A arquitetura em série dos tempos da locomotiva

Embora extinta em 2007, a Rede Ferroviária Federal deixou um legado de cair o queixo. Não foi apenas o ímã responsável pela formação de novos núcleos urbanos em Curitiba, mas também a grande semeadora das construções em estilo eclético.


"Nas casas de alvenaria, predomínio de elementos neocoloniais, como fundação em pedra e arcos. Fotos: Letícia Akemi / Gazeta do Povo"

 * Clique e leia na integra em: Gazeta do Povo 

Copyright © 2019, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.